População

A Ilha de Boipeba é um dos locais de colonização mais antigo da Bahia, sua população é de miscigenação de negros, índios e europeus, principalmente portugueses e holandeses. A População vive basicamente da pesca do artesanato local e do turismo.

Ilha de Boipeba está inserida no município de Cairu que abrange uma área de 451,19 km² (IBGE 2009), tem uma população de 15.336 habitantes (Censo de 2010), com taxa de urbanização de 44,36% e densidade populacional de 30,33 hab/km².
O rendimento médio mensal per capita da população economicamente ativa (11.250 indivíduos) é de 1,7 salários mínimo.

Povoado de Velha Boipeba

Primeiro e principal povoado da Ilha de Boipeba, fundado as margens do Rio do Inferno, é sede do distrito de Boipeba. A base econômica da população é a pesca e o turismo. O povoado possui diversas pousadas, bares e restaurantes. A palha e o cipó é a base para o artesanato local. Vale à pena visitar a Igreja Matriz do Divino Espírito Santo, do inicio do século XVII, erguida numa elevação e com uma grande escada de acesso.

Povoado de Monte Alegre

O povoado se encontra no centro da Ilha de Boipeba, que esta localizada entre Moreré e São Sebastião (Cova da Onça). O Monte Alegre era um Kilombo onde os negros se refugiavam, sua história é viva e contada até os dias atuais. Sua principal fonte de renda é a agricultura; mandioca, banana e a cana- de-açucar.

O Povoado de Moreré

Moreré vem da origem tupy e significa "acará-disco" nome de um peixe. Sua população é formada por pescadores. Não é à toa que a principal atividade econômica de Moreré é a pesca. Ainda pouco explorada, a região preserva uma grande abundância de peixes e mariscos usados nos pratos típicos locais. Vale à pena conhecer a vila de pescadores, viver seu cotidiano tão distinto das grandes cidades. O povoado é bastante rústico, com casas de pau-a-pique, sendo que muitas delas ainda não têm energia elétrica e usam fogão à lenha. Um telefone público atende a toda vila.

Povoado de São Sebastião (Cova da Onça)

A origem do nome é curiosa. Ali fica uma espécie subterrânea que lembra a forma de uma cova, de difícil acesso, onde, segundo se acredita existe uma imagem de São Sebastião deixada pelos jesuítas. O subterrâneo teria sido aberto no século XVII e, segundo dito serviu de esconderijo aos jesuítas dos ataques dos índios na época da colonização. Esse povoado de pescadores localizado ao sul da Ilha de Boipeba, numa enseada próxima á Ponta dos Castelhanos é o ponto final para visitação. A infra-estrutura turística se resume em uma pousada simples e alguns bares.